Sou autista e viver em comunidade é direito meu!

A campanha tem o objetivo de gerar consciência sobre a temática da desinstitucionalização buscando mostrar a situação precária e violenta que vivem as pessoas nas instituições, conscientizar sobre a importância dos processos de desinstitucionalização e das políticas que asseguram a inclusão na comunidade e falar sobre o direito de viver e ser incluído na comunidade das pessoas autistas e com outras deficiências.

Leia o manifesto da Campanha

Participe!

A Abraça é um movimento associativo democrático feito por indivíduos e organizações que comungam e aceitam explicitamente os princípios dos Direitos Humanos e incidem politicamente para pleno exercício da cidadania das pessoas com autismo. Convidamos pessoas autistas, familiares e ativistas dos direitos humanos que partilham de nossos pensamentos a participar também.

Saiba como participar.

Manifestos da Abraça

A Abraça atua ativamente junto às instâncias de governo e à sociedade para que leis, políticas e práticas não violem os direitos humanos e favoreça inclusão das pessoas com autismo. Frequentemente, lançamos manifestos públicos sobre questões importantes afetas aos direitos das pessoas autistas e suas famílias.

Conheça nossos manifestos

Últimas postagens

Audiência Pública na Câmara de Vereadores de Natal

Informação enviada por Valtemir Moura Oliveira, Presidente da APAARN: Neste dia 27 de abril último, a Câmara de Vereadores de Natal realizou uma Audiência Pública para discutir políticas municipais de atendimento às pessoas autistas. A mesa foi assim composta: Dr. Maurilton Morais, psiquiatra;Dr. João Neri, geneticista;Eliana Araújo, psicopedagoga, pesquisadora , mãe de Breno, jovem autista […]

AUTISMO E EDUCAÇÃO INCLUSIVA – QUESTÃO DE CIDADANIA

Abraça – Associação Brasileira para Ação por Direitos das Pessoas com Autismo 10 de dezembro de 2010 A Abraça – Associação Brasileira para Ação por Direitos das Pessoas com Autismo – vem expressar sua preocupação quanto ao tratamento recebido pelas pessoas diagnosticadas com algum transtorno global do desenvolvimento, chamadas aqui de pessoas autistas. Na nossa […]